Ganhadores de 2019

Categoria de Casos de Segurança do Trabalho

1º Lugar - RAFAEL FELIPE NOAL SCARAMUSSA (CEEE - RS)

BOM DIA SEGURANÇA

A utilização de diálogos de segurança é amplamente utilizada pelas empresas em geral como ferramenta de integração, disseminação de assuntos relacionados à saúde e segurança do trabalhador, bem como assuntos para prevenção de acidentes em geral.
A regional CR Sul da CEEE GT também o utiliza como, se não a melhor, talvez a mais importante ferramenta de prevenção de acidentes. O DDS, que em todo o Grupo CEEE (em torno de 3800 empregados) é denominado “Bom Dia Segurança”, é regrado por normas internas institucionalizadas pela empresa e é realizado semanalmente por cada equipe especifica de O&M do sistema elétrico, como por exemplo: manutenção de linhas de transmissão, subestações, proteção, telecomunicações e operação, etc. As equipes de operação de subestações que estão localizadas em distâncias diversificadas no âmbito de abrangência do CR Sul e que variam até 200 quilômetros da sede utilizam o apoio de tecnologia para que
haja efetividade na realização do “Bom Dia Segurança”.
Anteriormente, o “Bom Dia Segurança” para as equipes de operação era frio, distante e muitas vezes ineficaz, pois eram enviados artigos em formato eletrônico para as subestações e operadores para leitura e apropriação do conteúdo. Com a utilização da teleconferência foi possível envolver os operadores, não somente na participação como ouvintes, mas como protagonistas na realização do “Bom Dia Segurança”, uma vez que, através de rodízio e escala, cada empregado (operador de subestação) também deveria escolher um tema pertinente à segurança e apresentar na semana a qual estava escalado.
A realização do “Bom Dia Segurança” através de teleconferência trouxe benefícios como: maior integração através do contato visual e auditivo (ao vivo) com cada um dos operadores, maior engajamento dos operadores, valorização dos assuntos apresentados, aumento da cultura de segurança dos operadores, auxílio no levantamento dos riscos existentes nos locais de trabalho, olhar para a segurança de forma diferenciada. Os recursos disponibilizados foram: hardwares (microcomputadores, câmeras e microfones) e o software SCOPIA, bem como a liberação de tráfego de dados pela coordenadoria de TI do Grupo CEEE.
Foi elaborada uma escala de cada “Bom Dia Segurança” realizado, com o nome do empregado responsável por cada dia previamente agendado. Todos os participantes e envolvidos (operadores, chefias, técnicos de segurança) estão muito contentes com a forma de como foi levado o acesso do “Bom Dia Segurança” até as
subestações, sendo a forma de participação bastante democrática e igualitária.

2º Lugar - JACQUELINE DOS SANTOS (MANSERV - RJ)

 

PACTO PELA VIDA

Implantar uma cultura de segurança não é uma tarefa simples e que se estabelece por vontade da alta administração da empresa. É um processo gradativo, resultado de ações sistemáticas, pré-definidas e participativas, visando modificar e direcionar valores, hábitos e atitudes dos colaboradores em todos os níveis hierárquicos. Para que a Cultura de Segurança no Trabalho se estabeleça, a organização deve assumir um caráter de diálogo, em que os líderes falem com o colaborador e não para o colaborador, de modo a provocar uma ligação de experiências sociais significativas.

Existem alguns desafios durante a implantação, como a quebra de paradigma, onde a empresa deve mudar alguns conceitos para que tenha um ambiente de trabalho melhor. Essa mudança de pensamento envolve uma filosofia de trabalho com pensamento focado na melhoria contínua e responsabilidade de todos pela segurança. Outro grande desafio é atingir um estágio onde as pessoas adotem uma postura proativa, de forma a influenciar o comportamento coletivo e a reduzir a ilusão da invulnerabilidade, aumentando a cultura de segurança. Seguindo nesta linha e visando reduzir as ocorrências de incidentes e desvios de procedimentos de segurança, a Manserv UT Light implantou o programa Pacto Pela Vida.
O Pacto Pela Vida é um programa que engloba 6 ações, principalmente comportamentais, para disseminar a Cultura de Segurança, sendo elas: senso de dono, energia do saber, treinar para crescer, tiête a tiête, café com a liderança e liderança presente. A interação com os colaboradores, a liderança mais presente e ativa, além do envolvimento e participação nas tomadas de decisão trazem inúmeros resultados como já demonstrado por empresas de renome no mercado de SSO – Segurança e Saúde Ocupacional.
Com um mês de implantação do programa, iniciado em julho de 2019, conseguimos observar melhoras nos indicadores de segurança do trabalho como redução das não conformidades e incidentes. Considerando a evolução já obtida nos indicadores de segurança, a Liderança da UT se mostra mais engajada e motivada perpetuar o programa Pacto pela Vida.

3º Lugar - GABRIEL QUADROS DE AZEREDO e HENRIQUE DA FONSECA MARQUES (SEREDE - RS)

 

PROGRAMA SER SEGURO

O Dia do Basta foi idealizado em 2016 pela Serede, no estado do RS, através de uma ação conjunta do SESMT com a Diretoria de Operações, dada a necessidade de se criar um alerta geral de segurança como ferramenta mitigadora de acidentes de trabalho, em função do crescente no número de acidentes do trabalho. Com isso, identificamos um GAP: o comprometimento da gestão e de todos os funcionários sobre o tema segurança do trabalho dentro da companhia. Obtendo essa informação, buscamos soluções viáveis no âmbito das telecomunicações de reverberar esse tema por todos os níveis da empresa.

O Dia do Basta é um dia muito importante na gestão de SST da empresa, em que a área de Operações, com o suporte técnico do SESMT, incorpora ainda mais a cultura de prevenção, em que todos os gestores, gerentes e diretores paralisam as suas atividades e realizam auditorias de EPI/EPC junto aos técnicos de campo, a fim de identificar e mitigar eventuais desvios que possam se tornar um potencial acidente de trabalho.

A ação em si parece tranquila numa esfera “intramuros” em empresas nas quais todos os funcionários estão sob o olhar da gestão, porém em uma empresa “extramuros”, na qual os funcionários estão espalhados por todos os municípios, torna-se uma grandiosa ação para alcançar o engajamento de todos, não por chegarmos no indicador favorável, mas sim por tratarmos do tema de Segurança do Trabalho dentro da empresa, pois não importa o interlocutor da ação: o auditor do EPI ou o funcionário que está auditando, se a orientação e a cultura de segurança do trabalho dentro da empresa é uníssona, o importante é o tema em si.

A ação é realizada a cada três meses e contempla todas as filiais. Além das inspeções de segurança, são tratados temas como: condições impeditivas para prosseguimento das atividades, condições de segurança para a execução de trabalhos que envolvam riscos ocupacionais, procedimentos de segurança, entre outros.

Como consequência, além da redução dos acidentes da empresa, tivemos um maior engajamento de todo o time operacional e demais áreas da empresa com a segurança no trabalho, valorizando a utilização dos equipamentos de proteção e do trabalho seguro, elevando com isso o nível da Cultura de SST no âmbito de toda a organização. 

A partir de 2017, através do Programa Ser Seguro, a iniciativa foi ampliada para as demais regionais e hoje faz parte do calendário oficial da empresa.

Ganhadores de 2019

Conheça os ganhadores da categoria de Ações de Prevenção e Proteção da População

1º Lugar - DEMÉTRIO VENICIO AGUIAR (CEMIG - MG)

A sensibilização sobre riscos elétricos para os profissionais que desenvolvem atividades laborais próximas às redes elétricas é fundamental para se evitar acidentes.

Pintores, pedreiros, calheiros, serralheiros e vários outros profissionais correm sérios riscos ao se aproximarem ou tocarem na fiação e na maioria dos casos, quando não há óbito, a sequela é grave e permanente.

Com o intuito de reduzir os acidentes através da conscientização da população, através de uma forma prática, muito didática, objetiva e, principalmente, de baixo custo, desenvolvemos um simulador portátil de redes aéreas de energia que opera em alta tensão gerada a partir de uma bateria de baixa potência.

O equipamento reproduz em escala reduzida um vão de rede elétrica convencional de média e baixa tensão e é energizado com cerca de 15 mil volts e corrente muito baixa para simular qualquer tipo de acidente de natureza elétrica envolvendo as redes de distribuição e transmissão de energia.

Por se tratar de um equipamento movido a bateria, não requer o uso de tomadas de energia, o que facilita a sua utilização em qualquer ambiente, por exemplo em locais abertos, canteiros de obras, praças, estandes, salas de aula, auditórios etc.

A capacidade didática do simulador permite produzir conteúdo para a imprensa, elevando a sua abrangência com o público.

Por se tratar de uma maquete, sua utilização dispensa o uso de recursos audiovisuais, difíceis de serem empregados em locais abertos a exemplo dos canteiros de obra.

De fácil construção, pode ser feita por profissionais serralheiros e carpinteiros. Sua parte elétrica é simples e, por ter alimentação autônoma a partir de pequenas baterias, pode ser operado por qualquer pessoa com um treinamento básico e utilização de luvas isolantes adequadas.

Já foram produzidos diversos simuladores, os quais estão sendo utilizados em toda a empresa.

Os valores de corrente são muito baixos, portanto insuficientes para provocar lesões ou fatalidades no operador.

O circuito gerador de energia nada mais é do que um Taser adaptado, com pequenas garras elétricas, que o conectam na maquete através de fios de alta tensão utilizados em cercas elétricas domésticas.

Todos os materiais são de baixo custo, de fácil aquisição e requerem pouquíssima manutenção.

2º Lugar - TAYNAH MINETE PIMENTA (ILUMINAR - ES)

ILUMINAR NA ESCOLA

A ILUMINAR acredita na valorização da vida e afirmação da cidadania. Por esse motivo, realiza anualmente diversas atividades, interna e externas, relacionadas a sustentabilidade, meio ambiente, saúde, e segurança.
O projeto “ILUMINAR NA ESCOLA”, desenvolvido pelo Setor de Qualidade e Departamento Operacional, visa realizar palestras nas escolas dos municípios onde a empresa atua, buscando conscientizar estudantes de 6 a 14 anos, tendo como tema a geração de energia, cuidados com o meio ambiente e cuidados com eletricidade.
Criado em 2016, o projeto vem trazendo conhecimento para a área de atuação da empresa. Até a data 09 de setembro de 2019, 2.190 alunos foram atingidos.

​3º Lugar - DIEGO LUCIO MARTINS (DINAMO - RJ)

O FIM DA PICADA

Foi realizada uma campanha de saúde e segurança chamada "O FIM DA PICADA", ação de prevenção e combate à dengue.
Foram entregues panfletos informativos e eliminação de focos do mosquito Aedes Aegypti nas comunidades ao redor das unidades da empresa.

 

Ganhadores de 2019

Empresas mais engajadas

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Empresa Destaque do Ano em Telefonia